Tuesday, October 16

Inferno #188: Pinheiro e carvalho '2

Quando voltou a acordar, não estava mais naquela cama fechada de madeira.
Agora, atordoada, espreitava com os olhos meio-fechados a cama em que a tinham deixado: era mais larga e mais clara que o caixão. Caramba, tudo ali era tão claro, quase nem conseguia abrir os olhos! “Será isto o purgatório?”
Depressa teve a resposta: um cheiro enjoativo a desinfectante, os gritos loucos de alguém muito próximo dela, e uma voz desconhecida, mas agradável, “Hora da medicação”.

2 comments:

Alcebíades José said...

Haverá maior purgatório que uma cama de hospital e uma enfermeira mas disposta?
Talvez haja...

Rui said...

Olá!
Esta visita serve como convite a visitares o meu novo blog. Meu e não só ;)

*
Rui (ex-footprints)