Sunday, August 7

Inferno #7: o gajo da discoteca.

Eu tenho que partilhar este inferno particularmente irritante: fui a uma discoteca de uma terra qualquer que eu já nem me lembro do nome, ou seja, nunca mais na minha vida pretendia (ou pretendo) voltar lá. Ora como eu sou uma pessoa com uma sorte 'daquelas' (...), tinha que encontrar precisamente nesse dia a maior chaga da minha vida: um gajo que passou toda a noite a olhar para mim, e que eu acabei por conhecer porque sou uma alma caridosa e pensei 'eu nunca mais o vou ver na vida, ao menos posso fazer com que se sinta importante por momentos' (para além do que há sempre aquela teoria de que aquilo que fazemos de bom e de mau é nos devolvido com intensidade triplicada...). Pois bem, tornou-se uma chaga total, daquelas que se bloqueia no messenger (e se finge estar ausente) e se guarda o número de telemóvel para não atender sempre que telefona; daquelas chagas, no fundo, para quem não estamos nunca.
Deixo aqui o aviso: se se aperceberem de um gajo a olhar e a sorrir insistentemente para vós numa discoteca e não tiverem o menor interesse nele, FUJAM, não lhe liguem, não sejam simpáticas (mesmo que a simpatia seja uma das vossas virtudes mais vinculadas) com ele, ele vai tornar-se a chaga da vossa vida.

2 comments:

aLrEaDy said...

faltou dizer ao rapaz "get a life"

Francisca C. said...

de facto...