Thursday, September 11

Inferno #229: A boca.

Tens uma boca que me fixa nos olhos. Mexe-se demoradamente, lambe-se nos lábios de cor rosa carne e depois trinca-os. Tens uma boca carnuda, de onde por vezes espreita um cigarro. Mas a boca não se distrai, e continua a fixar-me os olhos, que já não conseguem desviar o olhar, porque se apaixonaram por ela.

6 comments:

Helio Lambais said...

Sempre bom o que escreves moça!!!
Sim, concordo inteiramente com o que disse em meu blog e aproveito para agradecer sua visita e dizer que espero-te mais vezes !

Beijos

Le Mat said...

Muito bom seu blog *_*

Entrei agora, mas já tá nos favs!

Abraços!

Francisca C. said...

Helio: Obrigada também pela sua visita, e claro que continuarei a visitar o seu blogue (mesmo que por vezes me mantenha silenciosa). ***

le mat: Obrigada pela visita e pelo fav :) ***

Anonymous said...

Há bocas que impelem até os mais contidos a beijá-las.

Francisco

amelinha said...

eu acho que a nossa boca às vezes também tem vida própria e beija antes de pensarmos o que estamos a beijar.

Ele há outras que nos fazem mesmo perder a cabeça.

POESIA DO BELO said...

A proposta dos Blogs literários é a de construir um exército de soldados da palavra ritmada, bem treinada, arrojada. A literatura cibernética forma um esquadrão que presta continência ao contemporâneo meio de ler. Ataquemos os inimigos com nossa munição de idéias.

Blog do Belo
www.belopoema.blogspot.com