Tuesday, May 27

Inferno #218: Pedido.

Ensina-me a perder-te.

4 comments:

Tinta no Bolso said...

gosto do inferno

ou gosto de dizer que gosto do inferno?

ou gosto de pensar que gosto do inferno?

ou alivia-me pensar que gosto do inferno? acho que é isto. como quando nos dói um dedo, se morde o braço para que a dor do braço faça esquecer a dor do dedo

Anonymous said...

Então é porque o tens, mas talvez não da melhor maneira... será?
Fran

Francisca C. said...

Tinta: Já eu gosto de fingir que gostas do inferno (sem toda a reflexão posterior e a conclusão).

Francisco: Não o tenho verdadeiramente...

Anonymous said...

Talvez ele não te queira ensinar isso, ou se souber que é isso que tu queres aprender te dê uma lição um pouco bruta. Não o tens da maneira que interessa, e talvez já tenhas percebido que nunca o vais ter dessa forma...
Os amores não correspondidos são uma boa prisão (e há quem diga que é melhor amar do que ser amado) mas como todas as prisões são também uma perda de tempo e a vida vai passando ao lado; tudo está entre parêntesis. A corda invisível que prende não é invencível, ela acaba por ceder e tudo passa... o silêncio, a paciência e o tempo, eles é que ensinam tudo e são os grandes aliados, principalmente o tempo que põem tudo no devido lugar.
Francisco