Wednesday, December 21

Inferno #59: Plágios.

Hoje em dia é muito difícil encontrar uma ideia original (já nem digo original boa... se formos procurar qualidade, então é que nunca mais saímos daqui...).
Este ano, a novidade são os Pais Natal [e não é "pais natais" que se diz, não] "trepadores", todo um novo conceito, produzido na Lapónia (sim, pelos duendes em pessoa!) e exportado para Portugal via Trenó de Alta Velocidade (sim, foi aí que nasceu o TGV, mas como era caro e perigoso fazê-lo com trenós, decidiram adaptar para comboios).
Até aqui tudo bem, somos um país acolhedor, temos gosto em receber pessoas de diferentes etnias e religiões, mesmo que se vistam de vermelho, como se fossem palhaços, e tenham estranhos hábitos. O que realmente me irrita, é que de repente toda a gente fale no raio dos Pais Natal "trepadores". Tornou-se uma epidemia, está em vários blogs e inclusive programas de rádio e televisão (daqueles que só algumas pessoas, como eu, vêem e ouvem).
Posto isto, a única coisa que eu peço a esses senhores e senhoras que amavelmente nos (re)brindam com a história dos Pais Natal "trepadores" (que geralmente é acompanhada de uma ou mais imagens com a dita figura), é que inventem algo de novo, não plagiem coisas com as quais já fomos amavelmente brindados por outros senhores e senhoras. Pode até ser que a vossa ideia original não tenha pernas para andar e não tenha o mesmo sucesso que os Pais Natal "trepadores", mas pelo menos tentaram inventar alguma coisa vossa (e até pode ser que pegue...).
É que a história dos Pais Natal "trepadores" [chiça!, tenho que arranjar uma sigla para esta expressão!] não é assim tão hilariante (eu pessoalmente até acho mais graça ao anúncio em que um tipo pergunta como é que é possível que a caixa negra do trenó se tenha perdido...).
Enfim, com isto tudo eu própria fiz publicidade ao tema da moda do Natal de 2005 (mas foi por uma boa razão - como foi para maldizer, estou desculpada).
Ah!, e já que estamos numa de proibir de forma fascista certos temas de conversa (mediática) da quadra natalícia (e para despachar este assunto de uma vez), também não é grande ideia (porque não é original, lá está...) falar nos seguintes assuntos:
  • A seca de ir comprar prendas em cima do dia 24, porque as lojas estão cheias de pessoas, mas com pouca mercadoria (a preços exorbitantes) e as filas dão duas voltas, sobem e descem as escadas - meus amigos, sofremos todos do síndrome da prenda de última hora (e acontece todos os anos, por isso não é nada original). Comprar uma prenda (ou várias) perto do Natal é bom sinal, quer dizer que temos trabalhado muito, que temos dinheiro e faz-nos ver que não somos os únicos;
  • A seca de ter que aturar a tia Joaquina e o primo Zé, que nem sequer sabem muito bem quem vocês são. Mas onde está o espírito natalício, pá!? O Natal é mesmo assim, é feito para aturar familiares cujos nomes nem nos lembramos (e se forem homens com mau hálito ou mulheres com barba, então é realmente Natal) - acham que os Reis Magos faziam mesmo questão de passar meia-dúzia de noites frias de Inverno, a viajar para o cu de Judas, para chegar a um palheiro sem saneamento básico?;
  • As eleições presidenciais. Só se pode falar nisso depois do Natal. Sim, eu sei que é uma grande excitação e que é raro (perigosamente raro) umas eleições tão perto da ressaca de ano novo, mas tenham paciência! O menino Jesus nasceu quando o processo eleitoral estava muito longe de ser democrático e aguentou bem toda essa pressão (e com certeza que os pais dele tinham uma panóplia de assuntos sobre que falar, que não incluissem a política).

Há muitos assuntos de conversa para além destes, não desesperem! Esta é apenas uma pequena lista de censura (que urgia ser feita) a assuntos de conversa já demasiado explorados pelos média durante o Natal. Projectem as vossas mentes para outros assuntos e descobrirão uma série de temas interessantes e por explorar (mesmo que se relacionem com o Natal - por exemplo, a questão da "gravidez divina" de Maria permanece na obscuridade há 2005 anos...).

Se me lembrar de outros assuntos já extensamente tratados nesta época, acrescento à lista (e aceito sugestões para temas de conversa novos ou para temas a censurar).

Os plágios andam aí...

Sejam originais!

12 comments:

Ouvidor said...

Minha cara Francisca, deixo-te aqui algumas sugestões para temas de conversa:
- As propriedades das particulas e a teoria das super-cordas, bem como, a definição dos seus contributo para a felicidade das algas marinhas;
- A gravidade quântica no processo de estruturação duma nova realidade digital à escala planetária;
- A influência do sol do deserto na definição da personalidade do Bin Laden;
- A estrutura da propriedade no reino de Lucifer e enquadramento jurídico para a propriedade privada dos infernos;

hmmmm... acho que isto não correu lá muito bem. Prometo que prà próxima me esforço mais um pouco.

Francisca C. said...

sim, por favor esforça-te mais para a próxima...

Ouvidor said...

É,... hoje, estou muito quadrado.
Por falar nisso, não és mesmo tu que sabes onde está a caixa negra do trenó?

Francisca C. said...

Com muita pena minha, não. Mas estou a pensar levar a cabo uma investigação nesse sentido, já que esse vai ser o caso judicial da temporada.

Ouvidor said...

Pràs escutas conta comigo.

Francisca C. said...

Folgo em sabê-lo; vejo que a minha equipa de investigação ganha, aos poucos, forma (e isso agrada-me...).

jonnie said...

depois de ler isto so posso dizer que o natal e mesmo so isto....que mais se pode esperar do que isto?nada claro...

"gravidez divina" de Maria???? engana me que eu gosto!!! o que se esqueceram de mencionar foi que a "menina" apanhou um "pifo" daqueles...acordou ao lado de um gaijo qualquer que nunca tinha visto na vida e nem sabia como havia de explicar a noitada de copos ao marido.
a primeira coisa que lhe vem a cabeça,passou a noite com DEUS, ta feito....e assim se explica realmente o que aconteceu , e 9 meses depois.....txarannnnn ai ta ele jesus crist superstar. E se enganou o marido, enganar o resto do mundo cristão não custa assim tanto :d
deixa la ver se isto ainda não vira moda, senão estou pra ver o que vai acontecer:P


a titulo pessoal eu preferia passar o natal e passagem de ano nas fiji..só eu,praia, uma palmeira para a sombra e sem ninguém no raio de 100 km. isso sim era "ouro sobre azul"
e assim e mais um devaneio meu :P

Francisca C. said...

Ora aí está uma explicação, mas, como mandante da investigação, tenho que averiguar todas as hipóteses de explicação (relativamente plausíveis) do fenómeno...
Epa, não, não, passar o natal sozinho não é natalício.

ouvidor said...

Mas temos de procurar a caixa negra do trenó...

Francisca C. said...

sim, isso também. Mas são investigações distintas, não podem ser confundidas.
Daria prioridade à da caixa negra do trenó, já que é o caso judicial do ano (e a gravidez divina aguarda há 2004 anos na lista de espera...)

jonnie said...

deixa a gravidez divina em paz....se começas a levantar poeira, isto ainda vai descambar, tou te a avisar...ainda josé(cornudo) se levanta da campa, e vai começar a desancar no pessoal até descobrir quem foi :P

aos teus olhos pode não parecer natalicio, mas para mim era lindo.....

Ouvidor said...

Liga o aquecimento. Está frio.