Tuesday, January 21

Inferno #254: O castelo de cartas

Há dias em que olho pela janela e em que o sol me basta para devolver à rua o sorriso que ela merece; dias em que volto a ser eu, em que toda a cidade tem as cores que amo e em que os pés assentam no chão, mas saltitam a cada passo.

E há dias em que os vidros me parecem ferros, em que abrir a janela me faz ter medo da ventania lá fora, em que o corpo perde o poder. São os dias em que me lembro que já não sou «princesa» de ninguém, em que no meu castelo, fechada em copas, desmorono.

1 comment:

iupiiiiiiiiii ! said...

e de repente do fundo dos meus feeds, se fez luz
não há ferros que resistam

apesar de serem infernos, há blogues de que gosto mesmo quando são só aparições